Mãe nasce em pé de planta?

Foi no início da manhã. Mas eu ainda sinto o cheiro dela em mim. Cheiro de criança. Eu nunca fui uma pessoa muito carinhosa. Meus afagos são sem jeito, minha abordagem é timidamente idiota. Até pra uma criança de três, quatro, seis anos. Eu fico meio dura, claramente desconfortável. Não tenho aquela admiração com cada gesto do ninfetinho. Não consigo achar tudo fofinho. Não sou tomada de ternura quando uma delas se aproxima. Me sinto meio mal por isso. Como se estivesse errada. Fria demais. Eu pensei que com o nascimento do meu sobrinho eu aprenderia a ser mais amorosa. Mas meu amor se limitou a ele. E quanto amor! Não entendo até hoje de onde vem. Mas o fato é que parei por aí.

Agora guardo minhas expectativas pra quando a maternidade chegar. Quem sabe então? Uma das expectativas é viver não só a maternindade biologicamente falando, mas experimentá-la na sua essência e prática adotando uma criança. Acredito que adotar pode ser uma experiência tão única e enriquecedora, quanto ser mãe pelo modo tradicional.

Mas aí… eu estava lá. As crianças tão distraídas em suas próprias brincadeiras mas tão subconscientes de sua condição. E como surge um filho? Não é natural escolher um. Não é justo. Com ninguém. Idade, sexo, temperamento, aparência? É assim que nasce o amor de mãe?  Como ele nasce então? Você sequer aceita com facilidade uma criança de outra pessoa. E aquela remelenta, cabelo desgrenhado, pernas finas e barrigão? E se todas forem assim? É fácil parar na rua pra admirar a menininha nórdica que passou sorrindo. Mas e o menino triste do nariz escorrendo? É criança tanto quanto. E ainda precisa de mais afagos e sorrisos do que a nórdica. Você dá também?

Filhos vem de cegonhas e as mães de onde vem?

Eu que quando criança adoecia quando meus pais passavam algum tempo longe, sequer cheguei perto da decepção que é dar adeus  pra tanta gente diferente que vai embora e nunca mais volta. Eu ainda sinto o cheiro dela. Talvez sinta ainda por um tempo.

– Agora me dá um beijo!

– Tia, você vai embora?

– Sim…

Anúncios

~ por maiahloren em 11/04/2010.

3 Respostas to “Mãe nasce em pé de planta?”

  1. q dia… todos ficamos sem jeito no começo (penso eu), no final acabamos por brincar e se divertir e carregar e dar até “estrelinhas”!
    acho q essa história continua… ;D
    bjsss

  2. Seria uma boa idéia mães nascerem de pés de planta. Elas poderiam se dar menos a essa experiência.

    Bjaum’

  3. “um dia me disseram, que as nuvens não eram de algodão…” hey mãe, alguma ficou pra trás / antigamente eu sabia exatamente o que fazer”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: