Diplomatas de Araque! Uni-vos!

capa_400w1Já estive em São Paulo três vezes na vida. Mas nunca conheci a capital de fato. Na primeira fui a uma cerimônia militar em Guaratinguetá. Na segunda há uns meses atrás, perdi algumas horas de sono passeando de um aeroporto pra outro num dia de trafego aéreo intenso. A ultima vez foi neste fim de semana. Numa visita a USP. Minha tarefa era acompanhar um grupo de estudantes de minha universidade e me informar sobre o nosso conhecido e histórico “Movimento Estudantil” numa reunião que aconteceria lá. Há pouco virei a “relações publicas” do Centro Acadêmico da minha faculdade. Na verdade ainda não há nome pro meu posto. Só existo na pratica… (dos males o menor). Enfim, esta foi minha primeira incumbência.

image5-709407-709457Há um grupo de estudantes que começa a questionar o quanto a União Nacional dos Estudantes (UNE) tem nos representado de fato. Questionar MESMO. Sugerem inclusive a criação de uma “entidade” alternativa a UNE. Que de fato “nos represente”. Entretanto, e obvio que existem correntes de estudantes que acreditam que isso não e necessário e que a UNE ainda tem cura. Basta boa vontade. E existem ainda… os adeptos a UNE.

O fato e que eu cheguei lá em plena apuração dos votos da eleição do DCE da USP. ( = Guerra. “Entrei de gaiato no navio, hey!”). Integrantes da chapa da oposição (infelizmente a única com a qual tive contato) relatavam com fervor a ocupação da reitoria que houve na USP em 2007 e como o processo de desencadeou. Enquanto luz, água e internet eram cortadas, estudantes da engenharia elétrica, ciências da computação, engenharia civil, etc vinham restabelecer as instalações da reitoria e o pessoal da comunicação, construía blogs, panfletos e jornais informativos da ocupação (um exemplo admirável de interdisciplinaridade na minha opinião).

Foi interessante o primeiro contato com os “paulissssstas do dariz intupidu”. Assim como o contato com essa classe tão politizada de estudantes foi ultra enriquecedor pra meu vocabulário. Eram “militantes” de todos os tipos. Alguns vestidos de Rip Curl (a propósito, acho interessantíssima a “sonoridade” dessa marca) ate os que se trajavam de partidos e adesivos. Nada que superasse o rapaz que vestia uma camisa da “Coluna Marxista”, um casaco da “Lacoste” e uma bermuda da “Volcom”… Como diria minha mãe: “PCI” (Partido Comunista de Ipanema)

“Biólogos do mundo! Uni-vos!”

“A consciência refluiu bizarramente!”

“Mo ratazanamento do pessoal da faculdade”

“Nossa reunião foi ultra vitoriosa”

“A vitória da ocupação foi concreta!”

“Cara, sou segundo secretario do CA…. Coisa de burguês ne..”

(esse tinha uma nuvem de frizz sobre os longos cabelos e uma frente úmida de saliva num raio de 5 metros em torno da boca).

Entre uma petelecada e outra nos insetos que pousavam na minha folha de “Periodontite Crônica”, os militantes cantavam e tocavam, demonstrando todos seus dotes artísticos (estudar que e bom…). A propósito, os paulistas eram bem mais afinadinhos, sem contar que eles tocavam Djavan ao violao e não pagode as batucadas como meus conterrâneos (para meu desprazer).

Eles são tantos e tão diversos, que só tem a política como assunto em comum. As relações são superficiais apesar da intensidade da paixão política que os une. Relações mantidas unicamente pela militância. Todos conhecem todos e ninguém conhece ninguém (pelo menos dentro dos grupos com os quais tive contato).

Ao meu ver, idéias mesmo opostas são validas e bem intencionadas. Talvez uma seja mais certa, talvez as duas sejam, talvez nenhuma seja. Parte das respostas para essas duvidas só surgirão com o passar do tempo e o desenrolar das ações tomadas pelas gestões vencedoras. Foi interessante entrar como observadora interativa nesse meio que me remeteu aos grandes movimentos estudantis que estudamos nos livros. O desafio eh levar isso a minha faculdade, esclarecendo as mais diversas visões do modo mais imparcial possível. Mas e um desafio “diplomático” prazeroso. Cada dia mais eu duvido da minha vocação pra área da saúde… Mas isso são outros quinhentos.

OBS: To de saco cheio de ficar copiando e colando acentos pela falta destes no meu teclado… Os que apareceram na correção do word vão ficar, os que não…. Bom… caguei. HeHe

Pessoal do movimento

Pessoal do movimento

Anúncios

~ por maiahloren em 02/12/2008.

5 Respostas to “Diplomatas de Araque! Uni-vos!”

  1. Ah Maria… ainda te carrego pra FCS! Tenho um bom nome para o seu cargo: Secretária Especial de Relações Exteriores.

    Adorei o texto.

  2. Nossa!!!
    E eu tava aqui pensando esses dias… meu deus.. q nome meu cargo vai ter… quem vai inventar um nome decente.. hauhaha
    adorei a sugestao! hehe

  3. Edw,
    Voce pode se intitular de Observadora de Assuntos Desconexos, é o que no fundo, me parecem os movimentos dos rebeldes sem causa.
    JF

  4. Vc tem o dom da palavra… Mto bom o texto!

  5. Nossa, meu pai só me arrasa.. hauahuaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: